Alguém até pode dizer que, em se tratando de riscos, quanto mais aviso melhor. Mas não acho que seja o caso. Para mim é daqueles exemplos de dinheiro mal empregado, pesquisa desperdiçada e falta de criatividade do “sobrinho do amigo do responsável” pela contratação da empresa que entregou o trabalho… O que resulta num caso de “prolixidade de imagem” ou, pior, “prolixidade iconográfica”… E olha que nunca achei que um dia encontraria um caso típico, ainda mais, produzido pela própria ONU.

Segundo a nota, foram necessários 5 anos de pesquisas em 11 países para “garantir que sua mensagem de ‘perigo e fique longe’ fosse clara e entendida por todos”. E 1650 pessoas depois, o resultado, significando “perigo, radiação” foi isso:

Novo símbolo de radiação da ONU

Convenhamos. A justificativa é de que o trevo de radiação não era bem compreendido pelo público em geral, mas ele continua lá. O símbolo universal de perigo, a caveira, eu ate entendo, mas o sujeito correndo depois dela, ou de consumado o fato, é ridículo… Ah, sim, e tem os “raios”, ô raios! E eis que algum escritório internacional faturou um contrato nas alturas para entregar um símbolo tão tosco…

Será que os caras que desenharam isso têm alguma noção de uso real desse tipo de simbologia? De quão imediata tem que ser passada a mensagem; de quanto espaço têm-se disponível para transmiti-la; de que tipo de estruturas receberão sua aplicação?

Esse é um dilema típico de contrato de criação de logotipo e identidade visual. Geralmente o cliente quer o mundo no logotipo. E às vezes isso não é uma metáfora… O mundo mesmo. Um globo terrestre com oceanos, todos os continentes e nuvens, e mais um nome enorme do tipo “International Prolixa Co.”, numa peça que deve ter um centímetro quadrado para ser impressa num cartão de visitas. Em duas cores, no máximo…

Mostrei ao meu sócio na Nova Onda o logotipo assim que vi, pois sabia que ia causar-lhe náuseas… pelo mau gosto, claro, não as relacionadas aos riscos pretensamente alertados… “Será que nunca perceberam que o trevo já era meia caveira?”, ele comentou. E desenhou:

Símbolo de radiação do Vart

Bom, eu realmente não gostei do outro símbolo. Mas só depois de pronto entendi o que meu sócio quis dizer com a “meia caveira” :))