O que vale como prova?
Visitando o blog Ceticismo Aberto (L?quito), especificamente um post sobre as
fotos do j? not?rio ufo-fraudador su??o Eduard Billy Meyer, ocorreu-me o impulso
de discutir o que seria uma prova v?lida para atestar a exist?ncia de Objetos
Voadores N?o Identificados. Segundo as institui??es c?ticas Center for
Inquiry-West [Centro para Investiga??o-oeste] e o IIG [Grupo de Investiga??es
Independentes], em nota a respeito de Meyer, “para o registro, o Center for
Inquiry-West e o IIG n?o reconhecem nenhuma fotografia de OVNI como boa
evid?ncia de vida inteligente visitando este planeta. Evid?ncia fotogr?fica ?
muito incerta, j? que fotografias (e seus primos ?ntimos, os v?deos e filmes)
podem ser facilmente forjados e manipulados”. Ora, o que vale ent?o? Quarquer
tipo de prova pode ser facilmente manipulado. S? mesmo a apresenta??o de um
alien em pra?a p?blica, com a cobertura da imprensa valeria? E ainda assim, com
essa l?gica, n?o ter?o valor as imagens registradas pela imprensa! Acho
importante pontuar aqui, independente do fato de crer ou n?o na tese da
visita??o alien?gena defendida pela Ufologia, que seu objeto de estudo ?
diferente, ao menos na forma, do objeto de estudos de uma pesquisa SETI, por
exemplo. E provavelmente uma mensagem de r?dio n?o sirva como prova. ? leg?timo
questionar e testar a idoneidade do fot?grafo, o estado do equipamento, a
exist?ncia ou n?o de outras evid?ncias, mas simplesmente recusar uma foto ou
filme como prova seria como se o marido ou esposa tra?da alegasse cegueira
quando o detetive lhe mostrasse fotos de sua esposa ou esposo na entrada do
motel… ::Via Palm – Vagablog + DM160::